Saúde à mesa

A equipe de nutrição do Restaurante do ICRJ esporadicamente estará esclarecendo dúvidas relacionadas aos alimentos e suas peculiaridades aqui no boletim. Neste mês, começamos abordando o “glúten”.
Conhecendo o glúten
São proteínas encontradas na cevada, centeio, trigo e aveia. É bastante usado no ramo alimentício, como forma de conferir maciez, textura, volume, espessamento de sopas, caldos e produtos lácteos, além de ser fonte proteica para os veganos.
Alimentos livres de glúten são mais saudáveis?
Cortar o glúten da dieta leva ao emagrecimento, pois o indivíduo deixa de comer alimentos industrializados altamente calóricos como pães, bolos, doces, cerveja, entre outros. Uma ingestão menor de calorias vai resultar em decréscimo na balança, mas não pela retirada do glúten em si.
Quando tirar o glúten da dieta?
Existem pesssoas portadoras de doença celíaca, que vem a ser uma doença autoimune com intolerância permanente ao glúten. A única forma de tratamento é a retirada total de produtos que contenham glúten da sua dieta, durante toda a vida. A doença celíaca pode ser de 3 tipos:
• Clássica: Caracteriza-se pela diarreia crônica, emagrecimento, falta de apetite, distensão e dor abdominal, vômito, podendo ter ainda esterilidade e aborto de repetição;
• Não Clássica: alterações gastrintestinais geralmente monossintomáticas.
• Assintomática
Por que não devemos retirar o glúten da dieta?
• São fonte de proteína vegetal, fundamentais ao organismo, pois comandam o reparo dos tecidos, estruturam nosso crescimento e mantêm o sistema imunológico ativo. Além de nos dar energia!
• Nosso organismo também pode usar como fonte de energia em dietas muito restritivas de carboidratos, ocasionando perda de massa muscular e falha em funções essenciais do organismo além da perda de peso.
• Além disso, consumir, cereais e produtos feitos com farinhas integrais, é uma excelente maneira de regular tanto o apetite como as atividades do intestino!