zarif hyeres2018por MEDIAGUIDE
OURO PARA O BRASIL: JORGE ZARIF VENCE A COPA DO MUNDO DA FRANÇA
Brasileiro dá show na regata da medalha em Hyères, vence de ponta a ponta e sobe no topo do pódio da classe Finn, deixando para trás até o campeão mundial
Jorge Zarif - Créditos: Jesus Renedo/ Sailing Energy
Com um desempenho brilhante na regata da medalha, Jorge Zarif conquistou neste domingo, dia 29, o ouro na etapa de Hyères (França) da Copa do Mundo da World Sailing (Federação Internacional de Vela).

O brasileiro venceu a prova decisiva da classe Finn de ponta a ponta, com grande vantagem sobre os adversários. Com esse resultado, terminou o campeonato com 38 pontos perdidos, deixando o holandês Nicholas Heiner (46 p.p.) com a prata e o turco Alican Kaynar com o bronze (50 p.p.)

“Foi muito bom. É a terceira etapa de Copa do Mundo que eu ganho. É a oitava vez que venho para a Hyères e a primeira que consigo medalhar aqui. Logo de cara conseguir o ouro me deixa muito feliz. É muito importante para o resto da campanha este ano”, afirmou Jorginho, que já havia sido campeão duas vezes da etapa de Miami da Copa do Mundo (2016 e 2017).

O ouro na França coroa uma temporada que já está sendo muito boa para Jorge Zarif. O brasileiro ficou em 4º lugar na Copa do Mundo de Miami (EUA), foi 5º no Troféu Princesa Sofia e 7º no Campeonato Europeu, ambos na Espanha. A próxima parada será a etapa Final da Copa do Mundo, que reunirá os melhores velejadores da temporada em Marselha (França), de 3 a 10 de junho.
Neste domingo, Jorginho entrou na prova decisiva em segundo lugar na classificação geral, atrás de Nicholas Heiner. Com ventos de 12 a 15 nós, deu um show na regata da medalha para subir no topo do pódio. Logo na largada, enquanto os demais competidores saíram pela esquerda, o velejador brasileiro optou pelo lado direito da raia. Foi a escolha perfeita. Jorginho disparou na liderança, deixando para trás até o atual campeão mundial, o sueco Max Salminen, que acabaria a prova em segundo lugar, mais de 100 metros atrás.
“Falei com o pessoal da Laser, que disputou a medal race antes da Finn, e todos diziam que estava melhor pela esquerda. Mas um pouco antes da largada eu percebi mais vento do lado direito. Deu certo o plano de ir para a direita”, explicou Zarif.
CLASSE 470 FEMININA
A Equipe Brasileira de Vela também esteve bem representada na decisão da classe 470 feminina. Fernanda Oliveira e Ana Barbachan terminaram a regata da medalha em sexto lugar e ficaram na nona colocação na classificação geral, com 108 pontos perdidos. Foi um resultado expressivo após um começo de semana complicado para a dupla nas primeiras provas. O ouro foi para as francesas Lecointre/Retornaz (62 p.p.).

Ao todo, a delegação brasileira teve 13 atletas em Hyères.

Veja abaixo os resultados dos demais velejadores do país.
Nacra 17: Samuel Albrecht e Bruna Martinelli, 7º lugar, com 112 pontos perdidos;
Nacra 17: João Bulhões e Gabriela Nicolino, 17º lugar (161 p.p.)
49er: Carlos Robles e Marco Grael, 24º (118 p.p.);
470 masculina: Geison Mendes e Gustavo Thiesen, 34º (217 p.p.).
Laser: Bruno Fontes, 33º (273 p.p.);
Laser: João Pedro Souto de Oliveira, 55º (408 p.p.)

circuitorio2018