Interclubes da Juventude na Bahia
Por Ricardo Baggio

A Baía de Todos os Santos, no período de 29 de abril a 5 de maio, foi palco da edição de 2018 da “Copa da Juventude”, que agora chama-se: Campeonato Brasileiro Interclubes da Juventude de Vela.
Delegações de 11 Clubes de sete estados, estiveram presentes nesta edição organizada pelo Yacht Clube da Bahia e pela Confederação Brasileira de Vela, na paradisíaca praia de Inema, na Base Naval de Aratu.
A “Copa da Juventude” é um evento específico para velejadores com idade até 18 anos e serve como seletiva para o Campeonato Mundial da Juventude. Depois dos Jogos Olímpicos, este é o evento que a grande maioria dos velejadores jovens sonham em participar.
Com a nata da Vela jovem brasileira presente, a disputa em cada classe foi de alto nível e muito acirradas. Para complicar, as condições climáticas da região nesta época do ano não foram favoráveis, pois é um período de chuvas esparsas, alternando tempo encoberto com chuva e sol. A cada passagem de nuvem havia uma rondada e alteração de intensidade do vento, o que exigiu muita atenção e frieza dos velejadores.
Na Classe RS:X o nosso representante, o jovem Caio Soares, sentiu a falta de ritmo, visto que não há regatas da classe no Rio de Janeiro, e finalizou na 5ª colocação. Todavia, ele contribuiu com preciosos pontos para o ICRJ na disputa entre os Clubes. Mas para o Caio o Campeonato vai deixar saudades: Posso afirmar com toda certeza que a Copa da Juventude de 2018 foi um dos melhores campeonatos que tive a oportunidade de participar. Não pelo resultado obtido, mas sim pelos laços que criei com os velejadores.
Na Classe 29er, o Clube foi representado no masculino com a dupla Lucas Cazale e Richard Hilbert, e no feminino com Rafaela Salles e Fernanda Blyth. Lucas e Richard começaram muito bem, em disputa muito acirrada com duas tripulações do Clube dos Jangadeiros. Chegaram no último dia brigando pela ponta, mas infelizmente, a dupla velejou muito abaixo do nível que vinha apresentando e ficou na 3ª colocação. Para Lucas, “este foi sem dúvidas esse campeonato foi de muitos aprendizados e estreitamento de laços. Foi difícil e disputado, com certeza deixará legados que levarei para vida inteira”, conclui.
As meninas do 29er, Rafaela e Fernanda, velejaram bem, terminaram na 1ª colocação e mostraram que com um pouco mais de treinamento, conseguem bons resultados, principalmente velejando contra os meninos. Para Fernanda, “depois de participar de três Copas da Juventude, foi possível perceber como o nível da classe evoluiu ao longo dos anos, tornando o campeonato mais difícil e desafiante” e ainda comemorou a classificação para o Mundial da Juventude.
Na classe Laser Radial, o ICRJ só teve representantes no masculino - os jovens Leonardo Motta e Érico Penteado. O Érico passou há pouco tempo do Laser 4.7 para o Radial, fez o que podia e não podia para ter uma boa performance, mesmo com seu peso leve. O atleta sentiu dificuldade na condução do barco nos momentos em que o vento ultrapassava a casa dos 12 nós. Finalizou na 11ª colocação e também contribuiu com pontos para o ICRJ. Já o Leonardo é um veterano na classe Laser Radial, finalizou na 4ª colocação.
A Classe 420 foi a que o ICRJ teve mais representantes, quatro no total. As duplas masculinas: Guido Hirth e Stefano Geromini, Humberto Cardoso e Felipe Berardo e, Bernardo Bulcão e Theo Taulois além de uma dupla feminina – Sofia Macedo e Manuela Baggio Lobato.
As duplas masculinas logo mostraram que o treinamento intensivo dos últimos quatro meses foi muito proveitoso e tiveram boas performances. Na sequência do evento, houve uma variação de performance, a dupla Bernardo e Theo, ainda inexperientes na classe e com Velas muito desgastadas, não conseguiram entrar na disputa do top 3, e finalizaram na 4ª colocação.
A dupla Humberto e Felipe, formada poucos meses antes, surpreendeu a todos -ganharam regatas e velejaram entre os primeiros, finalizando a série à dois pontos da dupla campeã - Guido e Stefano. Por sinal, a performance da dupla Guido e Stefano, foi muito elogiada pelos observadores da Confederação Brasileira de Vela, pois mostraram alto nível técnico e maturidade de campeões. Guido avalia a competição orgulhoso: é com muito orgulho e satisfação que posso dizer, que ganhamos e vamos representar o Brasil. Nada teria sido possível sem o clima de amizades, de ajuda quando, foco e diversão, ressalta.
A dupla Sofia e Manuela, por pouco subiu ao pódio, mas a 4ª colocação pode ser comemorada, visto seu pouco tempo de formação. De qualquer forma, a participação foi marcante para elas: A Copa acabou sendo uma experiência inesquecível. Nos surpreendemos com a nossa rápida evolução. Nosso sucesso foi graças ao constante incentivo e incrível união da nossa equipe, que apoiou nossa decisão desde o início, comentou Sofia.
Como descrito, o ICRJ foi muito bem representado, mesmo com uma delegação enxuta, com 15 velejadores e 3 técnicos, os nossos velejadores conquistaram a primeira colocação nas classes: 29er feminino e 420 masculino e 3ª colocação no 29er masculino.
O ICRJ ficou na segunda colocação por clubes, desbancando a grande maioria dos clubes filiados ao Comitê Brasileiro de Clubes. Porém, o que mais valeu, da nossa representação, foi constatar que fomos representados por uma garotada com verdadeiro sentimento de equipe e com orgulho ser atleta do ICRJ.